Na primeira parte deste artigo, mostramos o conceito de janelas de oportunidades no nosso dia a dia. Para muitos, é algo em que se agarram para avançar com ousadia em diferentes áreas de suas vidas (da pessoal à profissional). Para outros, é uma forma de magia, que aparece do nada e, vez ou outra, é reconhecido como uma boa oportunidade. O resultado desse olhar de espectador passivo, na maioria das vezes, é prejudicial.

Com qual dessas categorias você se identifica?

Para chegar a uma conclusão mais precisa, vale à pena refletir sobre os cofatores que tendem a contribuir para que uma pessoa enxergue boas oportunidades na sua história de vida:

  • Fazer o que gosta não importa onde;
  • Melhorar a autoestima;
  • Confiar nos lastros históricos pessoais e profissionais;
  • Usar a racionalidade em equilíbrio com a intuição e sensibilidade;
  • Sentir-se competente no que faz e ter vontade de aprender sempre;
  • Compreender que os riscos, insucessos, fracassos fazem parte da vida;
  • Não ter medo de ousar arriscar, com planejamento e responsabilidade;
  • Analisar se e forma de se posicionar nas relações interpessoais, conjugais, familiares e profissionais são de um aprendiz em direção a possíveis oportunidades ou de um espectador, à espera que algo mágico aconteça.

Cabe a pergunta: como estão as janelas de oportunidades da sua vida nos âmbitos interpessoal, conjugal, familiar e profissional?
O nosso grau de amadurecimento emocional e as nossas crenças espirituais nos ajudam a compreender que as oportunidades aparecem à proporção que investimos em crescer como seres humanos e, especialmente, sinceramente dedicados às pessoas a nossa volta.

No caso de quem crê em Deus, como eu, digo sempre aos meus amigos que o que torna a vida um dom maior é a maneira como aproveitamos as oportunidades dadas pelo Criador.

Podemos usá-las como uma janela que abre ou deixar que fique fechada. O que fazemos com ela – se a construímos ou a desprezamos – é responsabilidade nossa.

Viver com amor, afeto, solidariedade, empatia em relação ao próximo é construir as melhores chances na vida.

Por isso, não custa realizar uma reflexão profunda a respeito. Uma sugestão é elaborar uma lista das oportunidades que você perdeu, em todas as áreas de sua vida, mas, principalmente, naquilo que diz respeito à qualidade do seu dia a dia. Liste ao lado de cada uma os impeditivos que não o fizeram ousar. Por que você não quis avançar? O que faltou para um próximo passo?

Lembre-se sempre de que as janelas geralmente se abrem de dentro para fora, ou seja, é preciso dar chance a suas competências internas e a seus lastros históricos para que atuem no seu cotidiano. Estas duas posturas talvez sejam os diferenciais de quem enxerga e aproveita as janelas de oportunidades. Boa sorte!

Sebastião Souza

Janelas de oportunidades são construídas, não abertas – parte 2