“O sucesso tem muitos pais, mas o fracasso é órfão.”
John Fitzgerald Kennedy

Reconhecer e absorver os erros e fracassos como fonte de aprendizagem, em uma cultura que privilegia sempre os vencedores, pode parecer exagerado esperar que as pessoas possam refletir sobre os grandes ensinamentos contidos nos insucessos.

Como profissional das relações familiares e conjugais tenho observado dois fatores que me chamam a atenção:

O primeiro:

Os sofrimentos psíquicos e emocionais levam as pessoas a resistem a aprenderem com seus erros, vividos nos seus diversos processos relacionais; e por isso constroem uma “couraça emocional” ou “insensibilidade emocional” como forma de evitar novos sofrimentos, nos futuros vínculos afetivos.

O segundo:

Se relaciona com o fato de um grupo de pessoas que passaram por experiências emocionais negativas, tais como: rejeição, desqualificação, abusos emocionais, agressões físicas e/ou verbais, ao longo da vida, tendem a desenvolverem uma “racionalização patológica“, que as levam para um outro extremo, ao ponto, de recusarem a se entregarem a novas experiências amorosas.

Existe um ditado utilizado pelos especialistas das relações humanas que diz “gato escaldado tem medo de água fria“, está certo mas isto serve para o gato e não para ser humano que deveria aprender com os erros e fracassos, criando assim processos de “imunidade evolutiva.”

Em outras palavras, enquanto nosso organismo não adquirir a capacidade de reconhecer o que nos causa dor, desprazer ou desconforto, não nos resta outra opção a não ser criar alquimias mentais nas expectativas de continuarmos com as nossas auto sabotagens e autoenganos.

Costumo dizer que se você imagina, que “O inferno, são os outros” frase de Sartre que assumimos como um atestado de pessimismo quanto ao sucesso das relações humanas, lamento lhe informar que é com esses “outros” que você vai adquirir sua “imunidade evolutiva“.

Eu recomendo que você aproveite e faça uso da referência citada no início do texto, pelo ex-presidente americano e adote os seus erros e fracassos, aprendendo com eles, pois eles serão os melhores colaboradores que você poderá encontrar para o seu sucesso no futuro.

Sebastião Souza
Psicoterapeuta de casais e famílias

Aprendendo com seus erros e fracassos